Notícias

Projeto Salitre

05/05/2016

Vale tem licença para produção de minério entre Patrocínio e Araxá

O Conselho de Política Ambiental (Copam) aprovou, na manhã de quarta-feira, 27, a Licença de Instalação Corretiva (LIC) para a execução do Projeto Salitre, da Vale Fertilizantes. O empreendimento implica na retirada, inicialmente, de 1,6 milhão de toneladas de minério de fosfato anuais - podendo chegar a 7 milhões ao ano, após a fase de implantação - da jazida da Vale em Patrocínio. Esse minério será transportado, através da malha ferroviária, para o Complexo Mineroquímico de Araxá, onde será processado.

 

Tendo sido licenciado pelo conselho, a Vale Fertilizantes recebe, de imediato, a permissão para dar início à execução do projeto, que foi orçado em R$ 1 bilhão. Segundo o diretor executivo de Desenvolvimento de Projetos da Vale, Camilo Silva, as obras de adequação da malha ferroviária entre Patrocínio, Ibiá e Araxá devem começar em junho deste ano para, finalmente, iniciar as operações em dezembro.

 

Para o deputado Bosco (PTdoB), que está acompanhando o andamento do Projeto Salitre e, inclusive, esteve reunido com a diretoria da Vale, na última quarta-feira, 20, o investimento é extremamente importante, dada a capacidade de geração de renda e de fomento ao desenvolvimento regional.

 

“Recebemos com imensa satisfação a notícia da aprovação do projeto pelo Copam, pois este investimento promoverá um novo marco na produção de fertilizantes e no desenvolvimento econômico da nossa região. Ademais, o Projeto Patrocínio garante a sobrevida da unidade da Vale Fertilizantes em Araxá, que está perto do limite de produção, assegurando, portanto, os postos de trabalho da empresa em nossa cidade”, ponderou Bosco.

 

A mina de rocha fosfática de Araxá, que abastece a fábrica local da Vale Fertilizantes, produz atualmente um milhão de toneladas de minério ao ano. Com o minério de Patrocínio, poderá ampliar a produção de concentrado de minério de fosfato de 800 mil toneladas anuais para 1,3 milhão de toneladas anuais. Parte dessa produção será transformada em fertilizantes ainda em Araxá. “O Projeto Patrocínio é um investimento regional, que contribuirá para a subsistência da demanda de fertilizantes, já que o país produz apenas 25% do fertilizante que consome”, concluiu, o deputado Bosco.